GLÚTEN: AFINAL, ELE É MOCINHO OU VILÃO?

O glúten – ou “cola”, em latim – é a proteína presente naturalmente em cereais como o trigo, a cevada e o centeio. Entre as suas funções, ele é responsável por proporcionar elasticidade às massas, ajudando-as a crescer, a manter o seu formato e a deixá-las mais macias. Por isso, o glúten está presente em grande parte dos alimentos produzidos e consumidos no dia a dia, assim como pães, bolos, biscoitos e massas em geral.

 

O ditado: “sem glúten é mais saudável”

 

Apesar do que muitas pessoas acreditam, um alimento “livre de glúten”, não é necessariamente mais saudável e nem menos calórico do que um alimento com ele. De acordo com especialistas, alimentos ricos com essa proteína,  podem trazer inúmeros benefícios para a saúde, quando ingeridos dentro de uma alimentação equilibrada. Esses alimentos ajudam a controlar a glicemia e os triglicérides e aumentam a absorção de vitaminas e minerais.

Alimentos com glúten podem ser consumidos normalmente, desde que a pessoa não seja diagnosticada com doença celíaca, uma doença autoimune que provoca um processo inflamatório crônico do intestino delgado e se manifesta sempre que algum produto que contém ele na composição ou no processo de fabricação é consumido. Antes de começar a seguir uma dieta sem a proteína ou qualquer outra dieta restritiva consulte um médico ou nutricionista

 

Fonte: Pitlak





[custom-facebook-feed]

VAMOS CONVERSAR

O que achou do nosso conteúdo? Divida sua opinião e comentários conosco.

FALE CONOSCO